• Junte-se a nós em

Acupuntura: Medicina do Passado, Presente e Futuro

Acumpuntura

Acupuntura: Medicina do Passado, Presente e Futuro

Origem da Acupuntura

Agulhas de acumpuntura

A acupuntura é uma forma de tratamento que usa agulhas bastante finas (com cerca de 0,25 mm) para estimular pontos específicos, em trajetos inicialmente propostos em mapas antiquíssimos, de cerca de 2500 anos. Os registros mais antigos conhecidos são chineses, e considera-se que a técnica já era utilizada até 4000 anos atrás.

O Nei Jing (Tratado de Medicina Interna do Imperador Amarelo), livro fundamental da cultura médica chinesa, fundamentou e sistematizou o método, servindo de base para toda a prática que se estabeleceu posteriormente. Outros livros e estudos foram desenvolvendo esses conceitos, formando o corpo da Medicina Tradicional Chinesa, que compreende ainda as práticas de massagem terapêutica, orientações dietéticas e tratamento fitoterápico.

Mapas antigos de acumpunturaO método foi amplamente utilizado na China até o século XIX, quando deixou de ser ensinado e foi proibido pelo então imperador chinês, verificando-se o declínio de seu uso até o século XX, quando o regime comunista de Mao Tse Tung passou a estimular seu uso e a integração com a medicina ocidental, reconhecendo-o oficialmente e equiparando à medicina ocidental em 1955.

Na década de 70, durante uma visita diplomática do presidente americano Richard Nixon ao país, um jornalista integrante da comitiva teve de ser operado em caráter de urgência por conta de uma apendicite, tendo recebido acupuntura como parte do tratamento pós-operatório para dor. Esse fato despertou grande interesse por parte da comunidade científica, que passou a estudar seus mecanismos de ação e efeitos, o que mais tarde levou ao reconhecimento internacional de sua validade, através de milhares de trabalhos científicos comprovando sua real eficácia numa ampla gama de doenças.

O tratamento com as agulhas é reconhecido como especialidade médica no Brasil pelo Conselho Federal de Medicina desde 1995, e a primeira prova de título de especialista se deu em 1999. Com o reconhecimento, todos os convênios médicos devem disponibilizar o atendimento na especialidade, que hoje é praticada em centenas de clínicas e hospitais no país.

Benefícios da Acupuntura

A acupuntura é eficaz como tratamento complementar de dezenas de enfermidades, entre as quais podemos destacar:

  • Dores musculoesqueléticas de várias origens, como cervical, dorsal e lombar, hérnia de disco vertebral, tendinites, tenossinovites, fibromialgia, lesões musculares, ligamentares e articulares, lesões decorrentes de prática esportiva;
  • Doenças psiquiátricas como ansiedade, insônia, síndrome do pânico, depressão, compulsividade alimentar;
  • Transtornos na área da ginecologia e obstetrícia, como tensão pré-menstrual, sintomas da menopausa, cólicas menstruais, lombalgia na gravidez, auxiliar em algumas causas de infertilidade;
  • Inflamações e dores (agudas e crônicas) em geral
  • Sintomas reumáticos, quadros mal-definidos e que não encontram alívio em tratamentos alopáticos
  • Cefaleia decorrente de tensão muscular (geralmente associada a causas emocionais), enxaqueca, paralisia facial, coadjuvante na reabilitação de AVC;
  • Sintomas clínicos associados ao estresse, imunidade baixa, infecções de repetição que não tenham causa definida, como cistites, sinusites e rinites, alergias de pele e respiratórias, eczema;
  • Gastrite, diarreia, obstipação crônica, náuseas e vômitos da gravidez (ou fora dela).

Quem pode e quando fazer acupuntura

É comum que as pessoas se perguntem quem pode fazer acupuntura ou não. Como o método tem pouquíssimos e brandos efeitos colaterais – um pequeno hematoma ocasional, alguma sonolência, um ou outro ponto pode ficar um pouco dolorido - pode ser utilizado pela grande maioria das pessoas sem nenhum problema, mesmo idosos, doentes graves e pacientes usando grande quantidade de medicamentos.

É uma valiosa forma de tratamento que deve ser considerada em qualquer situação, excluindo-se, é claro, as de urgência e emergência (exceção feita aos casos de lesões musculares, que a acupuntura trata), que devem ser tratadas em ambiente próprio e preparado para tal. A acupuntura é descrita como um procedimento seguro, com uma incidência baixíssima de lesões ou acidentes.

A frequência de tratamento varia de uma a duas vezes por semana, dependendo da indicação, mas o importante é a regularidade – qualquer tratamento médico baseia-se em estímulo regular, seja medicamentoso, dietético, fisioterápico, psicoterápico... e a acupuntura não é exceção. Precisa ser feita dessa maneira para dar seus melhores frutos.

Cuidados na escolha de profissionais

Acumpuntura - aplicaçãoVale destacar, na escolha do médico que vai atendê-lo, o tempo e a atenção dedicado a cada paciente. Profissionais que atendem rápido demais, sem tempo na consulta inicial para uma escuta que considere minimamente o paciente e suas queixas de modo global; profissionais que agulham apenas o local referido de dor, não considerando usar outros pontos que movimentem a totalidade energética do paciente no sentido da cura; profissionais sem tempo para ouvir a evolução ou alguma nova queixa do caso, colocando algumas poucas agulhas e já se dirigindo velozmente ao próximo paciente... dificilmente poderão conduzir um caso de forma a tirar o melhor das potencialidades dessa maravilhosa terapêutica.

Assim, podemos facilmente enxergar as fabulosas possibilidades dessa forma de tratamento tão antiga, que estimula a capacidade de cura do organismo - as agulhas não contêm nenhum tipo de medicamento, mas estimulam pontos que fazem com que o sistema nervoso responda positivamente e atue reequilibrando os processos de homeostase, bom funcionamento dinâmico do corpo. Isso faz com que o paciente eventualmente necessite de menos medicação, alcance estados melhores de saúde e gradativamente responda melhor no caminho de sua recuperação. É uma forma de medicina que continua em franca expansão no mundo todo, a cada ano, mostrando que sua decisiva forma de ação no sentido de mostrar outras maneiras, além da medicamentosa, de tratar as enfermidades, encontra seu lugar nas melhores opções da medicina do futuro.

REFERÊNCIAS:

  • Vieira, Mário Sérgio Rossi, Acupuntura e Medicina Integrativa: Sabedoria Milenar, Ciência e Bem-estar, São Paulo: MG Editores, 2017
  • Site do Dr. Hong Jin Pai: www . hong . com . br (acesso em 3 de junho de 2019)

Foto de Mauricio Verderame
Dr. Maurício Verderame

Médico formado em 1990 pela F. C. M. da Santa Casa de São Paulo, especializado em Acupuntura pelo Centro de Estudo Integrado de Medicina Chinesa (CEIMEC), atuando como acupunturista desde 1997 na cidade de São Paulo.